Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

contrast-40
lupa-40
Tese e Dissertação

Ropivacaína para o bloqueio combinado dos nervos isquiático e femoral em bezerros bovinos

Autor

  • Resumo do trabalho
    • Resumo do trabalho
      • A anestesia locorregional sempre foi um dos pilares da anestesia balanceada, permitindo insensibilizar membros ou seus segmentos específicos do paciente, permitindo realizar procedimentos cirúrgicos em condições tanto de consciência quanto sob anestesia geral. Estas técnicas estão sendo refinadas, e através do uso de tecnologias como ultrassonografia e neuroestimulação, aliados ao conhecimento farmacodinâmico dos anestésicos locais empregados, sua eficácia e segurança tem aumentado consideravelmente. Objetivou-se com este estudo investigar a aplicabilidade e os efeitos anestésicos e analgésicos do bloqueio combinado dos nervos isquiático e femoral, em diferentes abordagens topográficas e com diferentes concentrações de ropivacaína, em bezerros bovinos, e sua aplicabilidade clínica em condição cirúrgica femoral. Realizou-se uma sequência de experimentos, visando determinar a abrangência de bloqueio de diferentes abordagens topográficas para bloqueio, através de uma abordagem proximal ou distal à origem nervosa intervertebral; a influência da concentração do anestésico local ropivacaína (0,75%, 0,2% e 0,12%) sobre os efeitos e tempos de bloqueio motor e sensitivo; e baseado nestas determinações prévias, aplicar na prática cirúrgica real, a efetividade e qualidade analgésica de sua utilização. Baseado na topografia anatômica utilizada para localização e bloqueio dos nervos isquiático e femoral, determinou-se que o emprego de uma Abordagem Distal promoveu a insensibilização em 8/11 áreas testadas (72,7%), enquanto o emprego da Abordagem Proximal promoveu insensibilização em 11/11 áreas testadas (100%), sendo portanto, que a maior extensão de área bloqueada é dependente de maior proximidade com as emergências nervosas intervertebrais. Ao se explorar as diferentes concentrações de ropivacaína, em 0,75%, 0,2% e 0,12%, observou-se que os tempos de duração dos efeitos sensitivos e motores é concentração dependente, mas não se evidenciaram seletividade sensório-motora de bloqueio. Melhor homogeneidade e extensão de bloqueio são obtidas com uso de concentrações mais elevadas. Ao se aplicar clinicamente o uso da abordagem proximal de bloqueio combinado dos nervos isquiático e femoral, com ropivacaína 0,15% em bezerros bovinos submetidos à fratura e osteosíntese femoral, promoveu-se manutenção anestésica estável com mínimo requerimento analgésico trans operatório, estendendo estes efeitos analgésicos para o pós-operatório. O tempo para primeiro resgate analgésico ocorreu em 3, 4 e 8 horas, para 50% (3/6), 33,3% (2/6) e 16,7% (1/6) dos animais, respectivamente, sendo o tempo médio de analgesia pós-operatória de 4,2 ± 1,9 horas.

        Palavras-chave: bloqueio nervo periférico; ropivacaína; ultrassonografia; neuroestimulação

Defesa

Banca

Suzane Lilian Beier (Orientadora)

Sérgio da Silva Rocha Júnior

Armando de Mattos Carvalho

Guilherme Mattos Jardim Costa

Leonardo de Freitas Guimarães Arcoverde Credie

Pablo Ezequiel Otero

 

Co-Orientador: Rafael Resende Faleiros

 

Orientador

Acompanhe a Escola