Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

contrast-40
lupa-40
Tese e Dissertação

Estadiamento e caracterização da proteinúria em cães naturalmente infectados com Leishmania infantum

Autor

  • Resumo do trabalho
    • Resumo do trabalho
      • A leishmaniose visceral canina (LVC), doença com alta prevalência no Brasil, tem como uma de suas principais consequências a injúria renal devido a lesões tubulares e glomerulares decorrentes principalmente da deposição de imunocomplexos. A presença de animais infectados assintomáticos dificulta o diagnóstico que deve ser realizado através da combinação de exames físico, parasitológico, sorológicos e moleculares. Após diagnóstico da infecção é primordial seu estadiamento para melhor composição do manejo terapêutico. Para tanto, são necessários marcadores que possam indicar a evolução e prognóstico da doença renal, uma das mais

        importantes ocorrências na LVC, que causa morte em muitos animais infectados. Na busca por um biomarcador precoce de injúria renal, este trabalho teve como objetivo determinar o perfil proteico urinário de cães infectados com leishmaniose tratados e sem tratamento. Para tanto, foram avaliados 30 cães oriundos do atendimento clínico ambulatorial de um Hospital Veterinário em Belo Horizonte. Todos os animais passaram por exames clínico, ultrassonográfico e laboratorial que incluíram biomarcadores renais como urinálise, relação proteína e creatinina urinárias (RPC), arginina dimetilada simétrica (SDMA), nitrogênio ureico sanguíneo (BUN) e creatinina sérica. Além disso, as proteínas urinárias foram caracterizadas através da técnica de eletroforese por SDSPAGE, e assim, foi elaborado um perfil proteico urinário comparando pacientes hígidos não

        infectados, com cães infectados com Leishmania infantum com e sem tratamento. Os resultados demonstraram que os parâmetros hematológicos e bioquímicos apresentaram comportamento semelhante entre os grupos de cães não infectados e de cães infectados tratados, entretanto um padrão muito heterogêneo de proteínas urinárias pode ser observado e diferiu entre animais hígidos não infectados e animais infectados com L. infantum com ou sem tratamento. Os resultados sugerem que a classificação da proteinúria pode ser uma ferramenta que auxilia no estadiamento de animais infectados por L. infantum podendo diferenciá-los quanto à gravidade de lesões renais existentes.

        Palavras – Chave: rim, proteinúria, eletroforese, Leishmania infantum.

Defesa

Banca

Profa. Fabiola de Oliveira Paes Leme

Prof. Julio Cesar Cambraia Veado

Profa. Adriane Pimenta da Costa Val Bicalho

Prof. Leandro Abreu da Fonseca

Profa. Carolina Maria Vianna de Freitas

Profa. Ana Paula Lucas Mota

Prof. Vitor Márcio Ribeiro

Orientador

Fevereiro de 2024
D S T Q Q S S
010203
04050607080910
11121314151617
18192021222324
2526272829

Acompanhe a Escola