Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

contrast-40
lupa-40
Tese e Dissertação

Avaliação dos efeitos inseticida e repelência sobre Lutzomya longipalpis em cães tratados com permetrina 65% ou com a coleira impregnada com deltametrina 4%

Autor

  • Resumo do trabalho
    • Resumo do trabalho
      • A leishmaniose visceral canina, zoonose de grande importância em países como América do Sul, Europa e Ásia, é uma doença veterinária ofuscada pelo fato de cães serem os principais reservatórios urbanos. As tentativas de controle são direcionadas para a redução do risco de infecção humana e não visando a proteção individual do cão de uma doença invariavelmente fatal. O extermínio de cães, além de eticamente inaceitável, não produziu redução da incidência da doença em humanos por diversos motivos, dentre eles falhas no diagnóstico, extermínio e reposição de animais por outros susceptíveis. Um método viável para a proteção dos cães é a utilização de produtos com efeitos repelentes e inseticidas. Dentre as opções estão a permetrina 65% pour on e a coleira impregnada com deltametrina 4%, ambos piretroides sintéticos qu  atuam em flebótomos como o Lutzomyia longipalpis, principal vetor no Brasil. Visando verificar a eficácia desses produtos em proporcionar a proteção individual de cães através de dois principais efeitos, o de repelência e o inseticida, a permetrina 65% e a coleira impregnada com deltametrina 4% foram avaliadas através da exposição de cães que as utilizavam a flebótomos obtidos de uma colônia fechada, posteriormente classificados em vivos ou mortos e em machos, fêmeas ingurgitadas e não ingurgitadas. Percebeu-se, comparando a permetrina 65% a coleira impregnada com deltametrina 4%, que o efeito inseticida foi melhor no grupo que utilizada a coleira impregnada (2%) e não a permetrina (1%). O inverso foi observado no efeito repelência, quando a permetrina demonstrou melhor resultado (40%) que a coleira impregnada com deltametrina 4% (33%), com diferença estatística. Quando comparados os grupos banhados quinzenalmente com o grupo não banhado, aos 21 dias, o efeito inseticida foi mais significativo no grupo não banhado (9%) em comparação ao grupo banhado (7%). Já aos 60 dias, o grupo submetido a banhos apresentou melhores resultados em relação ao sem banho (51% e 2%, respectivamente). Nos demais momentos não foram observadas diferenças significativas. Já  para o efeito repelência, foi percebida diferença estatisticamente significativa apenas aos 7 dias e aos 21 dias, quando o grupo com banho apresentou melhores resultados (49% e 56%, respectivamente). Quanto à capacidade da coleira impregnada com deltametrina em causar a morte de fêmeas ingurgitadas, aos 7 e 21 dias, o grupo não banhado apresentou maior porcentagem de fêmeas vivas e ingurgitadas (16% e 10%, respectivamente). A permetrina 65% demonstrou eficácia crescente no efeito inseticida, com diferença estatisticamente significativa entre o momento em que os cães não utilizavam o produto (3,6%) e aos 60 dias (17,1%) e entre o momento inicial (3,6%) e aos 90 dias (20,8%). Já para repelência, ocorreu diferença estatística significativa apenas quando comparados o momento inicial (29,1%) e após 60 dias (37%). A associação da permetrina com a coleira impregnada com deltametrina não apresentou aumento significativo na mortalidade e repelência dos flebótomos.

        Palavras-chave: Leishmaniose, Psychodidae, prevenção e controle, doenças do cão

Defesa

Banca

Prof. Roberto Baracat de Araujo
Prof. Fábio dos Santos Nogueira
Profa. Adriane Pimenta da Costa Val Bicalho

Orientador

Junho de 2024
D S T Q Q S S
01
02030405060708
09101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Acompanhe a Escola