Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

contrast-40
lupa-40
Tese e Dissertação

Avaliação da patogenicidade de Edwardsiella tarda, Chryseobacterium sp., Streptococcus agalactiae e Francisella orientalis para Tambaqui (Colossoma macropomum)

Autor

  • Resumo do trabalho
    • Resumo do trabalho
      • O tambaqui (Colossoma macropomum) é a espécie de peixe nativo mais produzida no país. Atualmente, a susceptibilidade do tambaqui foi confirmada somente para uma bactéria, Aeromonas hydrophila. Sendo assim, este estudo tem como objetivo avaliar a suscetibilidade de C. macropomum a isolados de Edwardsiella tarda, Chryseobacterium sp., Streptococcus agalactiae e Francisella orientalis. Os isolados de E. tarda e Chryseobacterium sp. foram oriundos de órgãos internos de tambaquis saudáveis, enquanto que os isolados de S. agalactiae e F. orientalis foram oriundos de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) apresentando sinais clínicos. Essas bactérias foram avaliadas quanto à sua patogenicidade para tambaqui por meio de infecção experimental. Para tanto, cada um desses isolados bacterianos, assim como caldo de crescimento

        bacteriano estéril para os grupos controle, foi inoculado em seis juvenis de tambaqui saudáveis por injeção intraperitoneal e, esses peixes foram observados quanto à ocorrência de sinais clínicos e mortes por um período definido. Os animais que morreram durante esse período e os sobreviventes ao final foram necropsiados e analisados por bacteriologia e histologia. Apenas os animais infectados por S. agalactiae apresentaram sinais clínicos com progressão para a morte de 83,3% dos tambaquis daquele grupo. O isolamento em cultura pura das bactérias recuperadas foi registrado para animais dos grupos de tambaqui infectados por S. agalactiae, F. orientalis e E. tarda e alterações histopatológicas encontradas foram descritas. Os animais infectados por S. agalactiae alterações histopatológicas associadas a inflamação neutrofílica e fibrinonecrótica no baço, fígado, cérebro e coração. Já os animais infectados por F. orientalis e E. tarda desenvolveram alterações histopatológicas associadas a esplenite, hepatite e nefrite granulomatosas. Por fim, concluímos que o postulado de Koch foi cumprido para a interação de E. tarda com tambaqui, enquanto que para a interação desse peixe com Chryseobacterium sp., o postulado de Koch não foi demonstrado. Já para as cepas bacterianas originalmente isoladas de tilápia, S. agalactiae e F. orientalis, a suscetibilidade do tambaqui em condições experimentais foi demonstrada.

        Palavras-chave: Patógenos bacterianos, peixe amazônico, postulado de Koch, suscetibilidade.

Defesa

Banca

Dr.(a). Henrique Cesar Pereira Figueiredo – Presidente – Orientador(a)

Dr.(a). Felipe Pierezan

Dr.(a). Sílvia Umeda Gallani

 

 

Orientador

Acompanhe a Escola