Escola realiza colação de grau dos formandos em Medicina Veterinária e Aquacultura

16.01.2023

O dia 12/01 foi marcado pela celebração das cerimônias de colação de grau dos formandos de Medicina Veterinária e Aquacultura de 2022/2. O entra e sai de colegas, alunos, formandos, funcionários, professores, familiares e amigos movimentou os corredores da Escola.“Tenham esperança. Esperançar é preciso”, disse a professora e paraninfa escolhida pela turma de Medicina Veterinária, Danielle Ferreira de Magalhães Soares, citando Paulo Freire. A fala traduz o espírito de renovação que emocionou os presentes em ambos os eventos, os quais foram os primeiros do ano de 2023 na Escola de Veterinária da UFMG. 
 
 
As duas cerimônias tiveram início com a exibição do vídeo institucional da Escola e do vídeo da reitora Sandra Regina Goulart Almeida, em mensagem aos bacharelandos. Sandra citou Guimarães Rosa, ex-aluno da UFMG: “o real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia”, referindo-se à simbologia da formatura, que é “um momento de transição, um rito de passagem”, e parabenizando os formandos pela conquista ali celebrada. Sandra elucidou o caráter público da Universidade, tida como fundamental para a construção de uma nação, e conceituada como “um bem universal e direito de todos”. “A UFMG é patrimônio do país e do povo brasileiro. A UFMG é riqueza e legado de todos nós”, afirmou a reitora. 
 
A reprodução do Hino Nacional foi outro momento marcante, comum às duas cerimônias ocorridas na última quinta-feira. Em posição de respeito, os presentes ouviram a execução da orquestra da Escola de Música da UFMG do Hino. O compromisso da Universidade com o desenvolvimento da sociedade brasileira como um todo estava ali simbolizado. 
 
 
A cerimônia de colação de grau de Medicina Veterinária começou às 10h, no Auditório Prof. Mário de Souza Couto Barbosa. A diretora em exercício Eliana Gonçalves de Melo convidou Andrey Pereira Lage, coordenador do Colegiado de Coordenação Didática do Curso de Medicina Veterinária; o patrono da turma, professor Antônio Último de Carvalho; a paraninfa da turma, professora Danielle Ferreira de Magalhães Soares; a médica-veterinária Myrian Kátia Iser Teixeira, que representou o Presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Minas Gerais; o professor homenageado Leandro Sâmia Lopes, e o funcionário homenageado Luiz Carlos de Assis para integrarem a mesa de honra. 
 
 
Ana Luísa Mota Ribeiro, oradora da turma, foi chamada para proferir o seu discurso que, em tom nostálgico, relembrou os altos e baixos que fizeram parte da trajetória que se encerrava naquele momento. Ana ressaltou os momentos de lazer e confraternização, os momentos de dedicação aos estudos, mas também as conjunturas externas atravessadas pela UFMG, e pelo seu corpo discente: uma Copa do Mundo em 2018, uma pandemia, e junto dela, ataques à ciência e descredibilização das vacinas. A bacharelanda chamou atenção para a força do coletivo, necessária para enfrentar momentos difíceis, convidando os formandos a “manterem bem guardadas as memórias que construímos juntos cercados por esses prédios”. 
 
 
Julia Machado Caetano Costa foi, então, convidada para receber o Certificado de Honra ao Mérito e o bottom alusivo à Medicina Veterinária, por ter se destacado com a melhor média dentre os formandos. Quem fez a entrega foi a médica veterinária Myrian Teixeira. 
 
 
Saindo do “script” que costumam seguir as cerimônias de colação de grau, a paraninfa da turma, Danielle, mostrando-se grata à homenagem “acalentadora” que recebia de seus ex-alunos, dirigiu-se ao púlpito. Fato é, que acalentadoras foram também as suas palavras, endereçadas com afeto aos bacharelandos, que ouviram, emocionados, a professora. Ela falou do simbolismo da cerimônia, que aconteceu no início de um novo ano e de novos tempos, em que “animais, pessoas e natureza serão respeitados. Para dar certo, temos que viver em harmonia com a mãe terra (...). É tudo uma coisa só”, afirmou. “Tenha esperança. Esperançar é preciso” disse ela, em alusão a Paulo Freire, patrono da educação brasileira. Freire fala de uma esperança que vai para além de sua origem etimológica, contida no verbo esperar. Esperançar não pressupõe passividade, mas construção. Esperançar, para Freire, é levar adiante, é “juntar-se com outros para fazer de outro modo”. Em couro ao caráter coletivo do esperançar freireano, Daniella aconselhou os formandos: “Olhe para o lado (...) viva em grupo, trabalhe em grupo”. 
 
 
Já Myrian, representante do CRMV/MG, enfatizou a importância da busca pela felicidade na carreira dos bacharelandos, colocando-se à sua disposição: “o Conselho é a casa de vocês. Estamos lá, sempre prontos para acolhê-los. Contem sempre com a gente. (...)dediquem-se ao que realmente está mexendo com o coração de vocês, que, com certeza, vai dar certo”. 
 
Os formandos foram então convidados ao juramento, proferido por Priscila Rodrigues Vieira, e a diretora Eliane conferiu o grau de Médicos Veterinários aos bacharéis do segundo semestre de 2022. Em seguida, aconteceu a entrega dos 43 cartões e declarações de conclusão de curso. O professor Klaus Wilhelm Heinrich Krambrock foi quem entregou a declaração à sua filha, a formanda Katharina Medeiros Krambrock, ao som de muitos aplausos dos presentes. “É um grande orgulho, uma grande satisfação ver minha filha se formando”, afirmou Klaus. 
 
 
Encerrando a sessão, foi a vez da diretora em exercício Eliane Gonçalves de Melo discursar. Ela falou da importância dos bacharelandos para a história da Escola de Veterinária da UFMG, que é construída diariamente, a partir da presença, realizações, condutas, e encontros de sujeitos que, juntos, fazem e são História: “A história da medicina veterinária como um todo é construída no cotidiano do trabalho dos seus alunos, professores, técnicos e funcionários (...) Todos somos históricos, tudo tem história. Vocês fazem parte da história da Escola de Veterinária da UFMG”. Finalizando sua fala, Eliane ressaltou a importância da Universidade para a construção democrática do país, instigando os bacharelandos a se atentarem para o compromisso que possuem com a realidade social que os cerca. 
 
Já a cerimônia de colação de grau da Aquacultura, teve início às 15h, também no Auditório Prof. Mário de Souza Couto Barbosa. Integraram a mesa de honra, em solenidade também presidida por Eliane, a coordenadora do Colegiado de Coordenação Didática do Curso de Aquacultura, professora Cintia Labussière Nakayama e o patrono da turma, professor Galileu Crovatto Veras. 
 
 
Mariana Rodrigues Vale, oradora da turma, encaminhou-se ao púlpito para proferir seu discurso. De início, ela expôs a dificuldade de elaborar sua fala, já que os formandos não compunham uma mesma turma, junta do início ao fim do curso. No entanto, ela encontrou similitudes nas trajetórias naquele momento encerradas: “vencemos esses 5 anos e alguma coisa de curso com as mesmas dificuldades, começando pela célebre frase: ‘aqua o quê?’”, disse ela, divertindo os presentes. Mariana seguiu falando dos muitos desafios vivenciados e partilhados pelos formandos, citando disciplinas, seminários, o Ensino à Distância, os trabalhos de campo, estágios obrigatórios, e, por fim o TCC, que funcionaram como elos para os formandos, descritos como “juvenis lançados à correnteza”. Correnteza esta, que, apesar turbulenta, foi fundamental para que os agora ex-alunos estivessem ali, transformados, finalizando seu ciclo na graduação da UFMG. “Devemos acreditar que somos talentosos em alguma coisa, e que essa coisa, a qualquer custo, deve ser alavancada” finalizou ela, citando Marie Curie, em frase representativa para os bacharelandos que, a partir daquele momento, davam início a uma nova etapa de suas vidas. 
 
 
Já o juramento, foi lido por Nathalia Soares Ferreira, e repetido pelos 12 formandos, que tiveram seus graus de bacharéis em Aquacultura conferidos pela diretora Eliane. Começou, então, a chamada nominal para a entrega dos cartões da reitora e declarações de conclusão de curso, momento que foi marcado pela emoção dos familiares e amigos diante da conquista ali celebrada. 
 
 
A diretora em exercício foi a última a discursar, falando do seu orgulho e satisfação de presenciar aquele momento, e ressaltando a importância do curso de Aquacultura para a Escola: “O curso de Aquacultura, no frescor de seus doze anos de existência, vem enaltecer o pioneirismo e o dinamismo acadêmico, inerentes à Escola de Veterinária da UFMG, contribuindo para o fortalecimento de suas raízes”, afirmou. Para além da excelência acadêmica, Eliane fez questão de fazer menções também à necessidade que possuem os formandos de traçarem trajetórias profissionais e pessoais cada vez mais empáticas. Generosidade, gentileza e a valorização da presença do outro foram qualidades citadas por Eliane, em uma fala proferida por uma diretora humana e compromissada com a sociedade como um todo. “Parabéns a vocês e aos familiares por essa grande conquista”, finalizou ela.
 
 
Fato é, que a presença dos familiares em ambas as cerimônias foi marcada por muita vibração e emoção por uma conquista que, como afirmou Eliane, também pertence a eles. Regiane Bonfim, mãe do formando em Aquacultura João Pedro Bonfim, em entrevista à assessoria de comunicação da Escola, afirmou: “Quando o João Pedro escolheu o curso, eu investi nele e falei: ‘meu filho, eu espero que você seja muito feliz na sua escolha’. Nós, da nossa família, somos muito participativos. Então, assim, ver essa vitória, principalmente depois de uma pandemia, de tanta dificuldade, é uma alegria imensurável”. A alegria da qual falou Regiane era explícita e compartilhada entre os outros familiares que também foram prestigiar João Pedro. Animados, eles se levantaram, com balões e muitos aplausos, reafirmando seu orgulho e carinho pelo ex-aluno, no momento em que ele foi chamado para receber a declaração de conclusão de curso. Já Patrícia dos Santos, tia da formanda em Medicina Veterinária, Priscila Vieira -a primeira da família a se formar na UFMG -, falou, com os olhos cheios d’água, do que sentia ao ver sua sobrinha se formar: “É um misto de esperança, de carinho, de fé, principalmente esperança. (...)Ter uma sobrinha formada em uma instituição de renome como a UFMG, para mim é um orgulho. E a minha esperança é que esses todos que se formaram aqui hoje, que eles tenham um futuro melhor”. 
 
A Escola de Veterinária deseja sorte e sucesso aos formandos! 
 
Clique aqui para ter acesso às fotos da cerimônia de colação de grau dos formandos em Medicina Veterinária, feitas pela Assessoria de Comunicação da Escola de Veterinária da UFMG 
 
Clique aqui para ter acesso às fotos da cerimônia de colação de grau dos formandos em Aquacultura, feitas pela Assessoria de Comunicação da Escola de Veterinária da UFMG
Compartilhe:

Escola de Veterinária da UFMG
Av. Antônio Carlos 6627
Caixa Postal 567, campus Pampulha da UFMG
CEP: 31270-901. Belo Horizonte, MG
TELEFONE DA ESCOLA: +55 31 3409-2001
WHATSAPP DA ESCOLA: +55 31 98661-8229
Hospital Veterinário da UFMG
Av. Presidente Carlos Luz, 5162
TELEFONE DO HOSPITAL VETERINÁRIO: +55 31 3409-2000 ou +55 31 3409-2276