Pesquisadora da UFMG desenvolve probiótico a partir de queijos artesanais do Norte de Minas

14.02.2020

Os benefícios para o corpo humano do consumo de produtos probióticos são variados, como o enriquecimento nutricional e a melhora da imunidade. Apostando na criação de um produto que unisse essas vantagens à fabricação de baixo custo, com insumos acessíveis, uma pesquisadora da UFMG desenvolveu um leite fermentado feito com as bactérias isoladas de queijos artesanais do Norte de Minas. A bebida atendeu às expectativas de funcionamento, tendo a possibilidade futura de ser pateteada para consumo.
 
 
A ideia da criação nasceu como proposta complementar a outro trabalho realizado no Instituto de Ciências Agrárias (ICA) da UFMG, no qual foram isoladas as bactérias de 15 amostras em busca de potenciais caracterizações como probióticas. Duas amostras chegaram à caracterização esperada, e foi a partir dessas duas que Amanda Cristina Mendes Gusmão começou a desenvolver seu estudo para gerar o leite fermentado.
 
Com a criação finalizada, a pesquisadora submeteu o protótipo a análises diversas. Os testes demonstraram efeitos positivos em relação a todas as analises, como acidez, sensibilidade a antibióticos, gorduras e outras. Com isso Amanda acredita ter gerado um produto de baixo custo, rico nutricionalmente e prático.
 
Saiba mais sobre o estudo em entrevista realizada no programa Veredas da ciência, veiculado pela Rádio UFMG Educativa Montes Claros. A produção e a reportagem são de Amanda Lelis.
 
Redação: Cedecom
Compartilhe:

Escola de Veterinária da UFMG
Av. Antônio Carlos 6627
Caixa Postal 567, campus Pampulha da UFMG
CEP: 31270-901. Belo Horizonte, MG
TELEFONE DA ESCOLA: +55 31 3409-2001
WHATSAPP DA ESCOLA: +55 31 98661-8229
Hospital Veterinário da UFMG
Av. Presidente Carlos Luz, 5162
TELEFONE DO HOSPITAL VETERINÁRIO: +55 31 3409-2000 ou +55 31 3409-2276