A Polícia Civil está investigando a morte de cães com suspeita de contaminação após comerem petiscos da marca Bassar. Todos os cachorros eram animais de pequeno porte.

Cãozinho Jon Snow faleceu de insuficiência renal após comer os petiscos. Foto: Júlia Mathias
 
Segundo a delegada responsável pelo caso, Danúbia Quadros, são seis mortes em Belo Horizonte, uma em Piumhi (MG), e duas em São Paulo. Ainda há outros seis casos suspeitos em BH e dois em Goiás, onde os cães passaram mal ou estão internados.
Depois que tutores de oito cães denunciaram que seus pets começaram a passar mal depois de ingerir os petiscos, a perícia da Polícia Civil de Minas Gerais Minas Gerais (original name) Minas Gerais recebeu amostras dos produtos.
 
Até essa terça-feira, 30 de agosto, a Polícia investigavam quatro mortes e cinco internações.
 
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, órgão responsável por retirar os petiscos de comercialização, recebeu a denúncia e também investiga o caso.
 
 Delegada Danúbia Quadros, que investiga o caso. Imagem:TV Globo.
 
Causa e sintomas
 
Um laudo preliminar foi feito por veterinários da UFMG em um dos cães. O exame de necropsia identificou lesões renais graves, que teriam associação a alterações clínicas e metabólicas que causaram a morte.
 
Este primeiro relatório indicou uma intoxicação por etilenoglicol. A investigação, porém, não pode afirmar se os outros cães mortos também se contaminaram pela substância.
 
Segundo a delegada, os cachorros apresentaram cansaço repentino, desconforto abdominal, diarreia, vômito e convulsões.
Tutores que identificarem mal-estar ou que internaram seus pets após a ingestão de petistos devem informar a Polícia para investigação.
 
José e Stela sobreviveram à intoxicação, mas perderam seus dois "irmãos", Bud e Walls. Foto: Arquivo pessoal 
 
Relatos
 
O cãozinho do motorista Diego Carlos Dias está internado em estado grave em BH. Segundo o tutor, ele comprou o petisco numa sexta-feira e ofereceu pro seu pet, um spitz alemão. No dia seguinte, o cachorrou apresentou vômito e diarreia.
 
“Eu peguei e corri com ele para o veterinário. O veterinário avaliou e falou: ‘Internação agora’. Agora, ele está fazendo uma transfusão de sangue. Não sei se vai viver”, contou Diego.
 
A médica veterinária Júlia Mathias era tutora do Jon Snow, da raça spitz alemão. Ele teve que passar por vários tratamentos, inclusive por hemodiálise, mas não resistiu. O cãozinho morreu por insuficiência renal.
 
John Snow, um cão também da raça spitz alemão, passou por vários tratamentos, inclusive hemodiálise, mas não resistiu. Ele faleceu por insuficiência renal.
 
Segundo a tutora, a médica veterinária Júlia Mathias, o animal ficou bem desanimado apos ingerir o petisco. No dia seguinte, ele já não aceitava alimentação, sentia dor abdominal e apresentava vômito e diarreia.
 
“Então, eu, como sou veterinária, logo levei ele para atendimento porque eu percebi que ele estava com muito desconforto”, contou.
 
Em outro caso em BH, a advogada Silvia Valamiel ofereceu os petiscos aos seus quatros spitz alemães, Bud, Wals, José e Stela, e ao seu pinscher Julieta. Os cães apresentaram insuficiência renal e tiveram de ser internados.
 
José, Stela e Julieta sobreviveram. Seus “irmãos” Bud e Wals, porém, não resistiram e vieram a falecer. Suas tutoras pensam em levar o caso à Justiça.
 
 Imagem: TV Globo
Os produtos
 
Os petiscos identificados até o momento são: Dental Care, Every Day e Petz Snack Cuidado Oral. Todos de fabricação da empresa Bassar.
 
A Polícia já notificou a empresa através de carta precatória para prestar esclarecimentos. A fábrica responsável pela fabricação dos petiscos fica na cidade de São Paulo.
 
Os responsáveis da fábrica terão que informar detalhadamente os processos de produção e os produtos da composição dos alimentos.
 
Posicionamento da fabricante e da empresa
 
Nota da fabricante:
“A Bassar Pet Food informa que enviou os produtos citados para análise no laboratório no Centro de Qualidade Analítica, cujo resultado deve ser divulgado nos próximos dias. Por precaução, a companhia iniciou a retirada do mercado do lote 3554 do produto Everyday.
 
A empresa informa que vem tomando todas as providências para esclarecimento do fato desde o dia em que recebeu o primeiro relato de possível intoxicação. A Bassar reforça que não há nenhum laudo conclusivo sobre a causa das mortes dos cães e está segura da excelência e da segurança de seus processos de fabricação.
 
Funcionários do Ministério da Agricultura realizaram inspeção na empresa em diferentes ocasiões nos últimos dias e atestaram que a fábrica atende a todos as normas de segurança alimentar e de produção. Os laudos do MAPA comprovam ainda que não há contaminação na linha de produção.
 
A companhia não utiliza e nunca utilizou o etilenoglicol na fabricação de nenhum de seus produtos. O propilenoglicol utilizado é um aditivo alimentar presente em alimentos humanos e animal em todo o mundo. A Bassar adquire esses insumos de empresas idôneas e devidamente registradas no MAPA.
 
Em seus 5 anos de história, a Bassar Pet Food jamais passou por situação semelhante, se solidariza com a dor dos tutores e reforça a confiança nos processos de fabricação, além de reiterar que preza pela qualidade de seus produtos e pelo bem-estar e satisfação de seus clientes.”
 
Nota da distribuidora:
“Imediatamente, quando do fato noticiado, envolvendo o produto SNACK EVERY DAY SABOR FIGADO da marca Bassar (fabricante e distribuidor) acerca de casos de intoxicação, o Grupo Petz retirou voluntariamente os produtos dos pontos de vendas da rede, notificando a empresa Bassar para ciência e providências, bem como colocou-se prontamente à disposição para colaborar com apuração dos fatos. A Petz informa ainda que retirou preventivamente das lojas um outro produto – o Snack Cuidado Oral – Hálito Fresco, para análise.
 
Procurada pelas autoridades, o Grupo Petz reitera estar acompanhando e colaborando com as apurações dos órgãos competentes e aguardando os esclarecimentos do fabricante, que por sua vez aguarda análises técnicas de órgãos reguladores para o tipo de produto.
Leia a matéria na íntegra.